segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

OS VAMPIROS - Parte 1

 
 Há séculos as lendas sobre eles estimulam a imaginação da humanidade. Conheça agora um pouco mais sobre a mais famosa das criaturas da noite!

 Juntamente com o lobisomem e o monstro de Frankenstein, o vampiro tornou-se o ser sobrenatural mais conhecido no mundo inteiro, como resultado de várias décadas de filmes de terror e outras manifestações na cultura pop mundial, e graças às pesquisas do escritor irlandês Bram Stocker. Antes dele, a lenda era confusa, mas Stocker aperfeiçoou-a, deu ao personagem uma definição e adicionou Drácula à lista clássica do terror.

 O nome de seu vampiro foi tomado de um nobre dos Bálcãs do século 15, cujas sádicas crueldades justificavam a denominação : dracul, que em romeno quer dizer diabo.

 É surpreendente verificar que essa lenda é relativamente nova e anteriormente restrita apenas a regiões isoladas. Porém lendas anteriores ofereciam muitas histórias de demônios sugadores de sangue.

 Já em Odisséia, de Homero, havia espíritos consumidores de sangue. Os hebreus, árabes e romanos tinham histórias de entes sobrenaturais que bebiam sangue. Mas nenhum deles parece apresentar nenhuma relação com a figura do vampiro como a conhecemos hoje.

 A palavra vampiro provém de vários termos do leste europeu, inclusive vampir, da língua magiar. A lenda, embora aparecendo somente no século 16, no século seguinte já conseguia atingir regiões tão longínquas como a Grécia. Os religiosos da época começaram a notar a rápida evolução dessas histórias nos Bálcãs, e seus superiores mencionavam uma nova ofensa do demônio.

 No século 17, um escritor grego, Leone Allacci, separou o conceito de vampiro de toda a demonologia cristã. Em 1746 o monge francês Angustin Calmet publicou um tratado erudito sobre vampiros. No século 18 o tema atraiu o romantismo gótico : Goethe, Byron, Gautier e Baudelaire escreveram versos sobre vampiros. E ganhou o teatro : uma peça fez tremendo sucesso em Paris, em 1820, e dali por diante, ganhou inúmeros imitadores.

 Alexandre Dumas escreveu uma peça sobre o mesmo tema e, em 1925, foi encenada, em Londres, a adaptação para o teatro de Drácula, de Stocker. Em 1931 foi o cinema que tomou conta : Bela Lugosi interpretou Conde Drácula. Antes disso, em 1847, fora publicado o livro Varney the Vampire, que se tornou imediatamente um best seller. Mas este eclipsou-se com a publicação de Stocker em 1897, uma clássica mistura de folclore e fantasia.



 Fonte : Homem, mito & magia - Vol. II (Editora Três, 1974)


 Semana que vem :



  

Nenhum comentário:

Postar um comentário